Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
 
Total de Visitas: 83227    
Online: 10
 
Câmara Municipal de Paranaguá
 
Data: 15/02/2017 Hora: 01:11:35
Sessão é interrompida por causa de tumulto orquestrado
Foto:Presidente Marquinhos Roque e vereadores ouviram demandas de moradores no gabinete da presidência

Era para ser mais uma sessão normal de terça-feira à noite na Câmara de Vereadores de Paranaguá, mas não foi. Isso devido à intenção de um cidadão, conhecido por Luciano Mergulhador, que mais uma vez provocou uma grande confusão no plenário ao, inicialmente, desrespeitar os seguidos pedidos de silêncio da mesa diretora para que os vereadores conseguissem usar a tribuna e, em um segundo momento, por não manter a ordem no plenário sendo então convidado a se retirar.

Ao reagir às tentativas da Guarda Civil Municipal de retirá-lo da sessão, após a ordem dada pela presidência da Casa, o manifestante foi o responsável pela grande confusão que se seguiu, e que resultou em um tumulto generalizado no plenário, com mulheres, crianças, idosos e uma pessoa cadeirante ficando em uma situação de risco.

Sob o pretexto de estar em defesa de moradores que reivindicavam melhorias nas imediações da Avenida Bento Rocha, o homem acabou usando o momento para se promover frente à emissora de TV local que fazia a transmissão, ao vivo, da sessão. "Até parece que foi tudo muito bem combinado, pois a TV local iniciou o dia fazendo falsos alardes de que estaria para ser votado na Câmara um anteprojeto de lei relacionado à Paranaguá Previdência, o que era uma grande mentira, mas serviu para inflamar a população. À noite, estranhamente, fizeram uma transmissão ao vivo da sessão que resultaria em tumulto provocado por um único indivíduo, ou seja, tudo me leva a crer que foi um jogo de cartas marcadas", desabafou Marquinhos Roque. Momentos antes, ao usar a tribuna, o presidente da Câmara Municipal de Paranaguá não poupou críticas ao que considera ser um desserviço o trabalho da emissora na cobertura dos assuntos da política em Paranaguá. "Infelizmente, eles ainda se comportam como se estivessem em campanha. Ou eles assumem a derrota que tiveram nas urnas e viram a página, ou seguirão com o total descrédito perante a sociedade parnanguara por tentar atingir pessoas que foram escolhidas pelo povo para governar a cidade", emendou.

REUNIÃO NA SALA DA PRESIDÊNCIA

A sessão, ao ser interrompida, fez com que as reivindicações dos moradores de localidades como a Vila Marinho e Jardim Iguaçu ficassem comprometidas, mas o presidente Marquinhos Roque fez o convite ao público presente para se dirigir a sala do gabinete da presidência, onde junto com outros vereadores, como  Adriano Ramos (PHS), Ratinho (PSB), Nilo (PP), Sargento Orlei (PTC), Fábio Santos (PSDB) e professor Carlos Fangueiro (PPS), ouviu a população. "Achei a atitude do Marquinhos muito boa, pois mesmo diante de tudo o que aconteceu na Câmara, ele nos trouxe para um local seguro e nos ouviu", disse a moradora Vanessa Soares, a qual foi enfática ao desaprovar o tumulto feito pelo senhor Luciano. "Ninguém queria bagunça, ninguém queria desordem, só queríamos ser ouvidos e, graças a Deus, conseguimos com que os vereadores soubessem o que precisamos e o que passamos pela falta de segurança na Avenida Bento Rocha", comentou a mulher.

Para Marquinhos Roque, a população soube separar as coisas e viu quem são aqueles interessados em promover a desordem e quem está, de fato, interessado em resolver os problemas da cidade de Paranaguá.

 

Data: 15-02-2017 01:11:35


2017 © Todos os direitos reservados